xHamster antigo
This is a print version of story Dois amigos e a submissa by Pedromm2 from xHamster.com

Dois amigos e a submissa

Numa App de encontros conheci uma mulher quente que se descrevia como Ninfo, bonita cara de atrevida. Chama-se Inês, 29 anos. Falámos um pouco e logo passámos para SMS com troca de fotos e nudes, aquela mulher era fogosa e logo me avisou 'come calado e repetes o prato as vezes que quiseres'. A maneira como encarava o desconhecido, aquilo ia render!

Nessa noite fui a um jantar de amigos bastante bebida e comida, nao iporque ia trabalhar cedo e uma ressaca nao ia calhar nada bem. Durante o jantar a Ines manda uma nude da paxaxa lisinha sem pelos, parecia que estava vestida de gala para ser toda chupada.
'queres lamber? manda uma'

Tive naquela hora um tesao e nao vou de modas, sigo ate ao wc desaperto as calças e retribuo. Volto para a mesa e ja nao conseguia parar de pensar naquilo.

'é grossa, gostava de a chupar toda'

A minha cabeça ja nao estava no jantar, queria aquela mulher comigo naquele momento em qualquer lugar. Fui para casa e a conversa rolou, chegamos ao Sexting, SMS safadas que fazem qualquer pessoa ter orgasmo enquanto lê.
'Es de Lisboa?'. perguntou curiosa
'Exato, es de Cascais certo??'
'Sim... gostavas de fazer um trio?'

WOW nao estava a espera e tive uma reaçao bastante boa, fiquei entusiasmado com a ideia, afinal nao é todos os dias que se conhece alguem disposto a isso.

'adorava...'
'...com um amigo? Tenho um amigo maluco como tu que nao se importava nada'

Ficou ali mesmo combinado um trio em casa dela ou do amigo. Para mim um menage tem de ser com alguem que nao tenho confiança mas seja tao tesudo quanto eu ! Ela falou com o amigo e em 2 minutos ele manda SMS

'atao bro? vamos foder a nossa amiga? :P '

Epa nao se nega a ninguem, a gaja é submissa e gosta de sexo escandaloso, eu sou adpeto do hardcore e prazer sem limites podiam e deviam contar comigo. Criamos um grupo num chat 'MENAGE' e trocamos ideias fotos e videos, o ambiente estava a escaldar e ainda nao nos tinhamos visto.

Ines : meus machos, em fevereiro estao livres? quero o trio...
Fevereiro é perfeito, tenho uns dias de semana e ele tambem estava de baixa do trabalho, ia mesmo acontecer.
Ficou combinado para dia 5 na casa do gajo na zona de sintra, eu nao sabia no que aquilo ia dar, mas o meu espitiro aventureiro e a libido iam mesmo levar-me la.
Cheguei a morada indicada, uma vivenda apresentavel num sitio sossegado sem muitas pessoas, ao principio da tarde, esperei um pouco encostado a um carro, nisto aparece um casal, ela com os seus 20 e tal anos e ele na casa dos 30, nao muito mais velho que ela.
Chegaram ao portao e ele liga-me

'bro estamos ca...'
Fiz sinal e aproximei-me, era mesmo a Ines e o amigo de 29.

Cumprimentamo-nos e senti o clima de tesao e fogo entre os 3. Entramos na casa pouco mobilada, parecia alugada e pouco habitada, mas era confortavel e bastante quente. Tinha muita luz na entrada e um ambiente mais reconfortante nos quartos com pouca luz, no entanto, tinha uma grande cama num deles.

'Ponham-se a vontade, trouxe bastante bebida e passamos no Mc trouxemos comida no caso de a fome apertar'- disse ele

Ficamos bastante a vontade, a Ines levava umas calças pretas de cintura subida, tinha o rabo no sitio bastante grande para levar umas palmadas, uma camisola de lã cinzenta e o cabelo solto. Dirigiu-se a cozinha para ajudar a tirar as bebidas da mochila enquanto apanhava o cabelo e com os braços esticados fazia a camsiola subir acima do umbigo.

'Meus machos venham a vossa putinha'
Puxou-nos e encostou-nos no fogao, meteu uma mao em cada um de nos, por baixo das cuecas e massajou as bolas ate ficarem duras. Sorriu mordeu os labios e deu um beijo demorado a cada um de nos enquanto acariciava os tomates... Retirou as maos, riu-se virou-se de costas para nos e inclinou a cabeça para a frente deixando a anca ao nivel das nossas cinturas

'uma nadega para cada um'

Metemos as maos cada um numa nadega e apertamos com força, demos umas palmadas e logo se levantou, afastou.se um pouco e disse-nos que ia buscar copos. Ok a gaja estava a provocar as feras.

Chegara a hora da bebida, fizemos umas misturas e rapidamente o ambiente ficou mais alegre, o Tiago olhava para mim e conduzia o olhar para o meio das pernas dela, eu fazia o mesmo enquanto ela nos fitava com aquele olhar safado.

'meninos deem-me um segundo, volto ja'

Disse isto com um ar serio e fizemos um compasso de espera para entender o que ela iria fazer. uns instantes depois decidimos ir a encontro dela, devia estar no unico quarto equipado com a cama de casal e precisamente no momento que nos levantamos, recebemos um SMS nos telemoveis, era um video da Ines a masturbar-se a massajar o clitoris gemendo e pegando naquele muco delicioso que saia da cona.

Nos nao perdemos tempo e fomos a correr para o quarto. la estava ela, sem cuecas apenas de soutien, a dedilhar a cona, ficamos ali a apreciar ela enfiar os dedos e a cuspir neles para lubrificar o cu. Ela gemia baixinho e mordia os labios, a passo que o muco que saia da sua cona era cada vez mais abundante e dois gajos nao aguentavam so vendo.

'venham meus machos' - pegou nas mamas com as duas maos 'uma para cada um, divirtam-se'

Abocanhamos as mamas, um ao lado do outro a chupar aqueles mamilos rosados e rijos, enquanto ela continuava a dedilhar a pussy, apertavamos aqueles seios e mordiamos. A Ines estava ja numa fase avançada de prazer e quase a vir-se a primeira vez, pediu uma pila na boca e que outro lhe metesse 3 dedos na cona, eu fui pra cona, queria sentir o sabor daquele mel e engolir tudo. o Tiago sacou da pila e enfiou.a toda na boca dela

'hmmmm viola-me a boca macho, mete tudo ate a garganta'

enquanto lhe chupava o pau contorcia-se com o meu minete, olhei para cima e via os colhoes dele a bater no queixo dela, era bom demais e nao queria que aquilo acabasse.

'caralho puta que vou.me vir'- avisou ele
'vem-te, papi da leite a tua puta'

Ouvindo isto, dedilhei mais forte e fundo meti o dedo indicador da outra mao no cu dela e entrou sem dificuldade, a Ines deu um mega suspiro e senti o orgasmo dela na minha boca, foi uma sensaçao do caralho e nunca sentira uma mistura tao boa de sabores, ao mesmo tempo que o Tiago lhe enchia a boca com leite, via-se as pingas cair nos labios dela.

Naquele momento pensei, hoje vamos secar os tomates e rebentar com esta puta.
Disse a ela para não engolir o leite todo edespejar um pouco pelo peito, fazendo escorrer pela barriga ate a coninha onde lhe lubrificava mais um pouco com o esporra. Trocamos de posiçao e o disse ao Tiago para tratar bem do assunto, ele meteu a lingua no proprio esporra e tratou de lambuzar aquilo tudo, abriu as pernas dela e dedicou-se ao cu.
Dei um beijo nela, cheirava a leite e a puta gostava da sensaçao.

'quero que me metam a chorar de prazer e se pedir para parar, continuem'

o Tiago já tinha o pau duro outra vez, dava para sentir a pulsaçao naquele mastro, queria ve-lo fode-la e apreciar cada centimetro a entrar naquela cona quente, já eu tinha ali a minha escrava puta a lamber-me os colhoes enquanto me batia uma, era tao bom que não parecia suficiente. Pediu-me para abrir as pernas, queria sentir o meu rabo, ela tinha fetiches em fazer rimjob e claro, aceitei porque tenho fetiche que uma mulher me faça. Sentei-me na cabeça dela, senti logo aquela lingua e o piercing roçarem na entrada, era melhor do que pensei, a gaja tinha mesmo um dom para aquilo.

Lambeu aquela zona entte o cu e os tomates.

'mete-me já o pau na boca, papi'

Fico doido quando me tratam por 'papi, daddy, senhor', enfiei-lhe cada centimetro pela garganta ate se engasgar, chupei-lhe o dedo da mao e levou-o à entrada do meu rabo, senti a unha quase a rasgar a minha pele enquanto entrava, foi o dedo todo para dentro, tocou no sitio certo. Chupava-me todo ao mesmo tempo que me enfiava o dedo, era bom demais e parecia que ia explodir naquela boca gulosa.

Ela gemia com a boca cheia, tinha um pau gugante a entrar na cona e outro na boca, apetecia-me ejacular, no entanto, queria aguentar mais um bocado, levantei-me, fiz um 69 com ela.. Ao deitar-me dei de caras com o pau do Tiago a tomar conta da cona

'tenho aqui companhia'- disse-lhe

Comecei a lamber o clitoris à medida que ele penetrava, já o meu pau tinha sido engolido por ela. Lambi-lhe o clitoris, sentia o seu corpo vibrar, em pouco tempo teria outro orgasmo intenso, continuei, abri-lhe os labios para ver o pau dele rasgar mais, passei a lingua no clitoris, dava para sentir oscheiros, o aroma a esporra, o mel dela, so pensava em comer aquela merda toda e não pensar em mais nada. Via o pau molhado entrar e sair

'bro baba o meu pau'

Ele fez uma breve pausa para cuspir na entrada da cona dela, caiu para o pau dele, o meu cuspo a descer desde o clitoris ate ao pau dele deu-me mais tesao. Tirou da cona para massajar o cuspo e lubrifica mais, aproveitei para lhe enfiar a lingua na cona, o meu pau estava quase a ceder àquela mamada magnifica, ela brincava como se fosse um gelado, entao so tinha de lhe dar o creme.

Ele meteu o pau novamente, continuei a lamber o clitoris ate que a Ines me morde a pila com força, engole mais e vem-se toda, garanto que a gaja chorou de prazer naquele momento, o Tiago tambem já não aguentava e tirou o pau para bater uma e vir-se para cima da cona dela, Mandou uns jatos que lhe foram parar a barriga e eu... Eu contribui na festa , fiz movimento de foda na boca dela, sentia a garganta apertada, parecia que ia romper aquele musculo sensivel e enfiei o mais que podia, ela engasgava-se e gritava como se a estivessemos a matar mas lembrei 'não parem se eu pedir' e tive um filho da put*a de um orgasmo tao intenso que lhe mandei uma meia duzia de jactos generosos na boca. Foda-se como era possivel ter tanto prazer? Estavamos exaustos mas queriamos mais.

Menage não é menage se não lhe fodermos os dois buracos ao mesmo tempo.

O Tiago lambeu o seu esporra da cona e da barriga dela, o gajo adorava aquilo, parecia a sua ultiam refeiçao, a Ines levantou-se de boca fechada e aproximou-se da minha boca, deu-me um linguado e despejou uma parte do meu leite na minha, e que beijo gostoso meu deu... Misturado com o aroma da minha esporra..

'engole tudo minha puta macho e a seguir fazes o que quiseres' – disse-me ela já com uma mao a acariciar o meu pau.

Hmm eu aguentava , todos nos aguentavamos aquilo e muito mais.
'Agora vamos foder-te como mereces e acabar contigo'

Ela deitou-se na cama, masturbou-se para nos, mordia os labios e fechava os olhos, gemia alto e contorcia-se, abria as pernas lambia os dedos e passava no cuzinho, deixava dois dedos na cona e outros dois lubrificavam o outro buraco. Eu e Tiago duros e bem grossos novamente, aproximamo-nos dela e demos-lhe os paus na boca, chupou um de cada vez sofregamente enquanto continuava a masturbaçao, já se via a baba dela a cair, tinha fome e queria acabar com ela.

Peguei nela ao colo e encostei-a na parede, entrelaçou as pernas nas minhas costas agbraçou-me com força e pediu para acabar com ela, so devia parar quando desmaiasse.. aquela gaja era um furacao! Meti-lhe o pau na entrada da cona …

'naoooo, quero no outro baby'
'Tiago vem ca, a nossa puta quer os dois'
Desencostei-a um pouco da parede para ele se colocar atras, agarrou-a na cintura, agarrei-a pelo pescoço e cuspi-lhe na boca

'delicia, cospe mais'- pediu ela

Cuspi-lhe bastante, parecia esporradela na cara e na boca dela, mas a melhor parte viria agora. Ajustei-a à minha altura e enfiei-lhe o pau todo na cona, o Tiago fez o mesmo, não precisou de muito esforço para lhe enfiar no cu... e ela gemeu, gemeu tanto com os dois paus ao mesmo tempo. Dois paus acima da media, la dentro conseguia sentir o pau dele, foda-se um pau em cada buraco que pareciam fundir-se no corpo dela.

Pentravamos com força, sentia o movimento dele no cu e parecia roçar na minha pila, acelerei o movimento naquele momento, tinha os colhoes tao duros que me doia de bater na cona dela, mas era bom viciante. Olhei na cara dela e continuava toda cuspida, lambuzava-se toda adorava ser puta submissa!
Quisemos trocar, era a minha vez de afundar o martelo naquele cu ! Trocamos, o meu pau era do mesmo tamanho que o dele mas mais grosso, talvez fosse mais dificil para ela aguentar a entrada mas estava tao molhada que deslizou tao bem, senti cada milimetro da sua peida abrir, era tao apertada que não queria estragar o material... mas estraguei ! Logo de seguida bombei forte e la estava do outro lado o pau dele mas desta vez para mim mais apertadinho e molhado.

Isto já ia em mais de 2 horas de foda e estavamos esgotados mas cheios de vontade de foder ! Ao fim de algum tempo a Ines diz sensualmente :

'fodam-me ate ficar em sangue e carne viva, quero o vosso leite todo ate a ultima gota'

Hmmm aquela peida já estava toda vermelha, dei-lhe umas boas palmadas , o que a fez gemer mais. O Tiago mordia-lhe os mamilos à medida que ela nos puxava o cabelo e pedia mais. Aceleramos mais, rebentei com aquele cu todo, estava quase em carne viva e com as minhas maos marcadas, iamos acabar a foda em grande ! Em poucos segundos veio-se novamente, desta vez gritou mais, sentiu mais e saboreou mais os nossos paus.

'voces sao malucos!!!'

Metemos a puta no chao e olhou-nos

'batem com a vossa piça na minah cara, violem-me a boca'

Primeiro bateu o Tiago, deu-lhe umas piçadas na cara e ela quando podia apanhava a cabecinha com a boca e dava umas leves mamadas, aquilo estava a excitar-me para caralho ! Ela apertou as mamas e meteu a lingua para fora, levou logo com a pila na boca, mamou tudinho, ele nem teve tempo de apreciar, veio-se logo enquanto ela lhe batia uma, vi os jatos de leite voarem para a cara e boca dela, com abundancia. Bateu ate ele não ter mais força e mandar-se para o chao! Estava acabado mas ainda faltava eu

'agora o meu favorito'- aproximou-se

Pegou-me na pila enfiou-a na boca, com uma mao apertou os tomates e chuapava cada centimetro de mim com vontade, parecia louca. Apertei-lhe uma mama e com a outra mao dava-lhe com a pila nos labios, a gaja tinha a cara toda marcada, tinha sido mesmo selvagem! Agarrou novamente e lambeu a cabecinha, chupou-me a pele da pila e pediu para lhe encher a boca que ainda tinha leite do outro. Enquanto me batia uma, cuspia o leite dele, aquela puta queria mesmo leite quente ! Ja com a boca vazia, abocanhou-me o pau e enchi-lhe a boca toda!!!

Via-se o ar de satisfaçao dela, baixei-me e ela ergueu-se, despejou-me o meu proprio leite. Exausta, debruçou-se em mim...

'Vamos repetir'........
Story URL: https://pt.xhamster.com/stories/dois-amigos-e-a-submissa-763880
Comentários 3
ou registe-se para poder publicar comentários
bom relato
há 7 meses
Responder
brutal !
há 7 meses
Responder
O meu favorito dos teus contos... A parte em que a lambes e o Tiago a fode! Minha nossa!
há 7 meses
Responder