Minha Despedida de Solteira

Ricardo me perguntou como eu queria a minha despedida de solteira, eu perguntei se ele podia reunir os amigos dele da última vez comigo e com Júlia, ele falou que não tinha problemas... mas eu ainda pedi para que Júlia participasse e Paulo também, ele concordou com tudo isso. Não era bem uma despedida já que nossa rotina sexual iria incluir isso também, mas era mais uma despedida do meu membro. Organizamos no sítio dele, eu, ele, Júlia e Paulo éramos os únicos casais lá, fomos juntos todos no mesmo carro, Ricardo dirigindo e eu e Júlia no banco de trás provocando Paulo, fizemos um boquete juntas nele “quando chegarmos lá, não poderemos te dar tanta atenção como agora, então aproveita” ela falou para ele. Fomos revesando ele o caminho todo, meia hora mais ou menos, mas ele não gozou, segurou para mais tarde. Nos duas descemos e fomos para o quarto nos arrumar, eles ficaram de descarregar o carro. Ficamos nuas, o corpo dela já tinha mudado bastante, estava toda orgulhosa dele e seus seios pareciam de uma adolescente, pequenos mas lindos. Ela por ser oriental parecia ser mais nova do que realmente era, fizemos nossa maquiagem, estava tão orgulhosa da minha aluna. Ela se portava feito uma fêmea independente. Seu corpo estava lindo também! Nesse tempo ouvíamos os carros chegando, uns mais ou menos com pelo menos 2, 3 pessoas em cada. Júlia estava com o cabelo preto, liso, longo, seus seios pequenos mas lindos, seu bumbum bem brasileiro, magra com coxas fartas, seu membro havia diminuído um pouco, mas continuava de bom tamanho. Ele vestiu um corselete preto, uma calcinha de renda tipo short e um salto preto. Eu por minha vez loira, cabelos lisos e até os ombros, branquela, havia ganhado alguns quilinhos, meus seios enormes agora combinavam com o resto do meu corpo de mulherão, meu bumbum estava bem grande, minhas coxas bem fartas, um membro ridículo de pequeno e inútil. Eu usava um sutiã vermelho de rendas com detalhes em preto, a calcinha, cinta liga e meia calça também da mesma cora, uma calcinha fio dental e um salto preto. Duas batidas na porta, era o sinal de Ricardo, eu havia pedido para que ele batesse quando estivesse todo mundo pronto na sala, enquanto nos arrumávamos, tomamos duas taças de vinho para perder o pudor (não que a gente tivesse muito), fomos preparadas com muito lubrificante e uma joia de plug anal para fechar os detalhes. Descemos e fomos recebidas pelos rapazes, todos usavam máscaras para não reconhecemos quem eram os donos dos paus. Todos pelados da cintura para baixo, alguns já duros e outros moles, deviam ser 13, 14 machos ali... Fiz minha entrada triunfal acompanhada pela minha aluna que agora já era mais minha amiga, já que não tinha mais o que ensinar para ela, fui andando rebolando e passando a mão no meu corpo, passando a mão nos paus pelos quais eu passava. No centro da sala tinha uma cadeira tipo um trono, nele uma coroa, sentei nele e Júlia veio me coroar, nela estava a palavra “noiva”. Fui aplaudida por todos, abaixei a frente do sutiã revelando meus seios e fiquei brincando com eles, novamente estavamos filmando tudo e eu me exibia para a câmera. Peguei um dildo que estava do lado da cadeira e comecei a brincar com ele, chupando e fingindo que fazia uma espanhola com meu seios, arredei a calcinha de lado e tirei a joia do meu cuzinho colocando ele no lugar, comecei a me penetrar com ele e meu membro que estava preso na parte de frente da calcinha eu massageava como uma mulher massegeia o clítoris. Fiquei de quatro na cadeira e continuei a brincar com o dildo, um rapaz veio até mim, abaixou minha calcinha, voltei a me sentar e me masturbar, ele me deu seu pau semi duro e eu caí de boca nele, ele fodia minha garganta sem dó e eu babava no pau e nas bolas dele, me masturbando ao mesmo tempo. Ele então tomou o meu lugar e se sentou no trono, eu me sentei de costas para ele e deixei seu pau deslizar para dentro do meu cu, enquanto eu o cavalgava eu massageava meu clítoris mole e esfregava a mão nas bolas dele. Júlia cuidava de endurecer o pau dos outros machos, chupava um e punhetava dois ao mesmo tempo o resto ficava ao meu redor batendo punheta. Meu clítoris inútil continuava flácido e balançando a cada metida que eu recebia no meu cu. Saímos do trono e fiquei de quatro na frente de um pauzão que coloquei na boca e o meu macho que estava por baixo feio por trás, os dois metiam bem fundo dentro de mim, um no cu e o outro na garganta. O que estava atrás de mim forçava minha cara contra o pau que eu chupava. Quando eu podia, eu respirava e passava um tempo lambendo e punhetando, depois voltava a ter a garganta fodida. Júlia nesse momento estava deitada numa mesa, sendo fodida no cu, chupando dois e punhetando outros dois. O macho que estava atrás de mim saiu, me colocaram de cabeça para cima, ele começou a se punhetar na minha cara, coloquei a boca para fora e recebi quatro jatos bem fortes na língua, que escorreu para minha boca e meu queixo. Algumas gotas fora para os meus seios e o resto eu engoli, o que eu chupava veio também se punhetar na minha cara, ele gozou direto na minha boca, engoli cada gota que ele soltou. Deixei a cabecinha do pau dos dois bem limpa. O que fodia Júlia saiu de dentro dela e veio gozar na minha cara me sujando bem, eles gozavam e eu me exibia para a câmera. Sorria igual uma putinha a cada jato que recebia. Veio mais um se aliviar no meu rosto, coloquei a língua para fora, ele acertou a maior parte nela, o tesão que eu tinha por ser humilhada sempre aumentava quando alguém me usava como alvo. Eu esfrevaga meu grelhinho esse tempo todo, me levantei fui abraçada por trás e penetrada ainda em pé. Meus braços estavam presos para trás, meus seios pulavam e eram apertados pelos machos ali. Eu amava aquilo, se fodida de pé, enquanto outros machos se masturbavam, cheia de porra e sendo filmada, acabei tendo meu primeiro orgasmo seco. Nem me recuperei me colocaram deitada de frango assado, eu chupava duas rolas enquanto recebia uma no cu. Chegou mais um e passei a punhetar dois enquanto chupava um. O que fodia o meu cu perguntou se meu negócio não ficava duro, falei que não normalmente, ele perguntou se tinha como deixar, ele queria ver como que era antes de ser removido. Eu fiquei em dúvida e falei que não tinha como, só com viagra ou algo parecido. Para que fui falar? O que mais tinha lá era viagra, todos tinham tomado! Me deram uma pílula na boca e eu não consegui engolir seco, então dois vieram e gozaram na minha boca. Engoli o gozo deles com a pílula junto. Fiquei muito tempo recebendo no cu e chupando naquela posição. Me colocaram de quatro novamente, um se deitou na minha frente e eu o chupei, o outro veio por trás e continuou a meter, nesse momento meu membro começou a endurecer. Eles filmaram isso e falaram “viu? Isso que é uma garota exemplar! Só fica dura com rola e ainda vai remover isso para poder receber mais rola!”, eu morria de vergonha do meu membro duro, era minúsculo, mas ser humilhada por ele ser pequeno me excitava. Mudei de posição e comecei a cavalgar invertida o rapaz que estava deitado, praticamente masturbava o pau dele com meu cu. Ele agarrava minha bunda e apertava forte. Ao redor outros 4 caras batinham punheta. Olhei e percebi que Júlia também estava super dura, deram viagra para ela também. O rapaz que estava embaixo de mim deu lugar para ela, os caras queriam ver ela me foder. Continuei o trabalho que fazia, agora nela cavalgando de frente para ela, meu membro durinho batia no corselete dela enquanto o pau dela me preenchia. Novamente pasei a chupar dois caras, Júlia fazia o mesmo. Meus peitos continuavma sendo apertados com força, mas eu adorava. Minha cabeça forçada contra paus e dentro de minha minha amiga metia forte enquanto chupava também. Ela parou de chupar e se levantou, começou a se masturbar na minha cara, nesse instante um cara veio por trás dela, enfiou o membro dentro do cu dela e masturbou o pau para ela, eu sabia que era Paulo aquele ali, ela gemeu muito e aliviou o gozo no meu rosto. Seu volume de porra tinha diminuído, mas ainda era bom. Paulo estava quase gozando dentro dela, Júlia falou “da a sua porra para ela”. Ele saiu de dentro dela e gozou na minha boca, vários jatos fortes. Eu engoli tudo e agradeci, falei que ela era uma garota de sorte de ser dona de um esperma tão saboroso. Fui colocada deitada de lado com a perna para cima, um veio por tras e outro veio ser chupado por mim. Eu não fazia ideia de quantos já tinham passado por mim e amava isso, um filete de gota saiu do meu membro duro, passei no dedo e levei a língua, não sabia que eu ainda produzia isso. Me colocaram de quatro e novamente um fodia minha boca e o outro o cu. Júlia veio até mim e começou a me punhetar. Acabei gozando alí, duas, três gotinha, ela me deu para lamber e falou “é melhor uma xoxota mesmo amiga, isso aí não serve para mais nada” e com o pessoal rindo eu acabei gozando pelo cu. Mudamos de posição novamente, voltei a ser fodida de lado e minha boca passou a ser disputada por quatro rapazes. Paulo já estava sem máscara e ele estava com Júlia cavalgando a rola dele. Os dois bem duros. Eu chupava e assistia os dois juntos, fui virada de barriga para cima e fodida na posição de missionário, eu conhecia o rítmo e o pau daquele que me fodia e falei “obrigada pela festa amor”, ele só tirou a máscara e sorriu. Nesse tempo veio um e aliviou o saco na minha boca. Eu engoli tudo olhando nos olhos do meu macho, ao mesmo tempo veio outro e também gozou na minha boca, outros dois esfregavam os paus nos meus seios. Eu percebi que era a hora de todos ali gozarem, vinha um atrás do outro e gozavam na minha boca sujando meu rosto e meus seios. Eu ficava de boca aberta, língua para fora e segurando meus seios. Sorria para a câmera e para o meu macho. Então ele me colocou de pé, novamente prendeu meus braços e fodeu o meu cuzinho comigo de pé e suja de porra. Eu só gemia e falava com ele “mal posso esperar para ter uma buceta para você gozar nela”. Falar que queria uma buceta deixava ele doido de tesão e ele gozou dentro do meu cu. Ele saiu de dentro de mim e já fui colocada de joelhos, três vieram e gozaram no meu rosto e na minha boca. Eu já estava encharcada de porra. Então veio o final, Júlia se deitou embaixo de mim e começou a foder o meu cu, Paulo veio por trás e forçou sua entrada também, os dois fazia uma dupla penetração no meu cu. Júlia me limpou com sua língua e dividimos o esperma que ela coletou na boca. Falei com ela que amei a festa que eles organizaram para mim. Chamei por Ricardo que já estava pronto para outra, ofereci para ele minha boca. Estava sendo fodida pela minha amiga, o namorado dela e chupando o meu noivo. A única coisa que pedi foi para o três gozarem juntos dentro de mim. Paulo e Júlia já estavam bem próximos, Ricardo ainda ia demorar, então chupei seu pau, parava e punhetava falando putaria “fantasia comigo amor, eu vestida de noivinha, na nossa lua-de-mel, você arreda minha calcinha para o lado, seu pau vai preencher minha bucetinha virgem que você fez para mim, vai ser bem gostoso você gozando dentro dela, estou louca para sentir seu pau dentro de mim na minha xoxota que vai ficar no lugar desse negócio minusculo. Você vai me completar como mulher com seu esperma na minha buceta”, ele não aguentou “vou gozar!” ele anunciou “nos também!” os dois falaram. Júlia e Paulo gozaram um no pau do outro dentro do meu cu me preenchendo com o calor deles e ao mesmo tempo, Ricardo esvaziou o saco na minha garganta. Eu acabei gozando junto com o orgasmo deles, cai em cima de Júlia que ficou fazendo carinho em mim. A filmagem acabou com nos duas abraçadas nos beijando.
100% (3/0)
 
Categorias: AnalTravestis
Comentado por morenopira50
5 meses atrás    Visualizações: 2,710
Comentários
Responder:
Reply text
Por favor faça login ou registe-se para inserir comentários.
Sem comentários