Montadinha na Obra

Naquele dia estava para o crime. Meu rabinho estava piscando e eu estava decidida: ia dar muito!!!! Resolvi me montar. Coloquei uma calcinha preta e um espartilho com ligas, rosinha com bolinhas pretas, super vintage. Coloquei meias 7/8. Por cima, uma calça social justissima com elastano que grudava nas minhas pernas e marcava minha deliciosa bunda. Uma blusinha branca semi-transparente meus saltos altos preferidos: pretos com 13 cm de altura.
Fui me maquiar. Batom roxo, cílios postiços, um pouco de corzinha nas maçãs do rosto e um delineador para marcar os olhos. Coloquei brincos de pressão e algumas pulseiras. Me olhei no espelho: se eu fosse um macho, queria me comer toda.
Agora a dúvida: como arrumar um homem para me foder. Pensei em ligar para o gás - sempre é fácil arrumar uma pica assim hihihi. Mas antes resolvi sair e procurar por uma obra. Sempre tem peão pauzudo afim de faturar um cuzinho guloso... e não deu outra... aliás, dei muito hihihi.
Andando de carro, encontrei uma obra, com dois andares, que tinha dois peões trabalhando na sacada do andar de cima - ideal para eu me exibir e ver se dava jogo... mas o problema é que um ônibus de turismo tinha parado bem em frente - era próximo a uma atração da cidade.
Vi que o motorista já estava se preparando para sair e os turistas retornando para o ônibus. Estacionei e esperei o ônibus sair.
Assim que os turistas foram embora, desci do carro, do outro lado da rua da obra e fui andando passando bem em frente a construção. Notei que um dos pedreiros olhou para mim e já ficou ligado. Andei mais um pouco e fingi que me abaixava para pegar algo no chão. Assim, a calça justa desceu e mostrou a calcinha deliciosamente enfiadinha na minha bundinha. Deu uma olhadinha para trás e vi o pedreiro me olhando. Resolvi provocar. Ainda abaixada, puxei a calça um pouco mais para baixo mostrando minha bunda gostosa. Levantei, ajeitei a calcinha, enfiando mais no meu cuzinho e levantei a calça, puxando bem para cima. Me virei e atravessei a rua. O peão estava louco me secando.
Voltei pelo caminho, agora do lado da rua em que ficava a obra. Passei em frente à construção rebolando deliciosamente e me sentindo ser comida pelo peão. O outro pedreiro estava de costas e ainda não tinha me notado.Parei logo depois do portão da obra. Onde eu estava, dava uma visão privilegiada para meu macho. Percebi que o outro pedreiro também tinha me notado e agora os dois conversavam, possivelmente sobre mim. Aproveitei.
Me abaixei de novo, mostrando a calcinha enfiadinha e fiquei assim um bom tempo, dando olhadinhas para trás e risadinhas. Os dois ficaram em olhando. Fiz o mesmo jogo. Abaixei um pouco mais a calça e mostrei toda minha. Dessa vez não levantei totalmente, empinei minha bunda para cima enquanto ficava com a cabeça para baixo, segurando nos meus tornozelos. Abri um pouco as pernas e com certeza os machos conseguiam ver o buraquinho do meu rabinho. Levantei e arrumei a calça, sempre socando na minha bunda. Vi os dois peões ajeitando o pau e conversando. Eles entraram na obra.
Esperei um pouco ali pois achava que eles viriam me encontrar. Nada. Esperei mais um pouco e nada. Como estava muito a mkostra ali, atravessei a rua e parei bem no ponto com cobertura em que estava o ônibus de turismo. Fiquei ali um pouco, quando vi o primeiro pedreiro que me viu, sair pela porta da obra com um balde não. Até que enfim. Ele foi até o portão onde tinha uma torneira e começou a encher o balde. Enquanto a água escorria, ele deu uma olhada para mim e deu uma ajeitada no pau por cima da calça. Era o sinal que eu precisava,
Atravessei a rua e fui até o portão e fui direta: - Oi, quer comer meu cuzinho?
O sujeito ficou um pouco assustado... mas repeti. - Estou vendo que você está de pau duro... que tal meter essa rola no meu rabo?
Ele ainda estava perdido mas fez sinal para eu entrar. Fui atrás dele. Entramos na obra e passamos por uma sala e saímos nos fundos da construção. ele caminhou para a edícula no final do terreno e entrou em um quarto. Entrei também. Ele fechou a porta e se virou segurando o pau por cima de calça.
Me abaixei e abri a calça jeans dele. Tirei para fora um pau já duro, não muito grande, uns 15 cm e fino. Adoro picas grossas e grandes. Mas fazer o que. A vantagem do paus menores e que mantém por mais tempo a ereção. Comecei a chupar gostoso a pica do peão. Era fácil colocar ela inteirinha na boca e disse para ele: - Fode minha boquinha... Ele entendeu a mensagem, segurou minha cabeça e começou a bombar a pica na minha boca com velocidade e em pouco mais de um minuto me encheu de leitinho. Após gozar, ele levantou acalça e foi saindo.
Porra, será que era só isso?Eu queria um macho me comendo gostoso. Logo que ele saiu, fui levantar para ir embora, quando a porta abriu de novo. Era o outro peão. - Agora é minha vez.
Ele já foi tirando o pau para fora. Estava meia bomba, mas parecia ser um pouco maior. Comecei a chupar e senti o pai crescer. Era maior mesmo, uns 18 cm e bem mais grosso. Aqueles paus que não são compridos, mas bem grossos. Enchia toda minha boquinha. Chupei gostoso por alguns minutos até que ele me mandou virar e ficar de joelhos na cadeira apoiado na mesa. Ele baixou minha calça. Alisou minha bunda, afastou a calcinha para o lado e enfiou um dedo em mim. Ai que delícia. Começou a me massagear e logo enfiou o segundo dedo. - Agora vou te comer.
Peguei uma camisinha e passei para ele. O peão colocou rapidamente no pau, deu uma cuspida no meu rabinho e encostou a cabeça na portinha. Senti ele forçar, mas não entrou. Então ele me segurou pela cintura e antes que eu esperasse forçou o pau. DEi um grito enorme. O filho da puta enfiou tudo de uma vez. Não era comprido, mas a grossura era respeitável. Antes que eu falasse alguma coisa, ele começou a socar super rápido. Meu pintinho erstava duríssimo de tesão e achei que ele me faria gozar sem nem tocar no meu pau. Ele socou por cerca de uns três minutos e eu estava quase gozando, quando ele tirou a pica, me virou, tirou a camisinha e me encharcou de porra. Ainda limpei um pouco de gala que ficou no pau dele. Então ele empurrou minha cabeça para trás, levantou a calça e saiu. Eu estava sendo tratada como uma puta mesmo. ele nem saiu e entrou outro peão que eu não tinha visto ainda. Era moreno, alto, com cara de novinho, uns 20 anos máximo e um jeito meio abobado.
Ele entrou e ficou parado. Então sentei na cadeira e chamei ele. O sujeito veio meio que com receio, quando cegou perto vi um volume enorme marcando a calça. Abri o jeans e saltou uma pica do jeito que eu gosto. Já super dura. Mais de 20 cm com certeza e ainda mais grossa que a do outro peão. Chupei gostoso. Lambia a cabeça, depois descia chupando pelo lado até chegar no saco. Aquela pica iria me fazer gozar. Chupei gostoso por quase 10 minutos e nada do cara gozar. Então resolvi que era hora dele me comer. - Agora você vai enfiar essa pica no meu rabo.
Assim que falei isso, o grandalhão me jogou em cima da mesa, com a barriga para cima, puxo minha calça até debaixo do joelho e levantou minhas pernas expondo meu cuzinho. Ele afastou a calcinha para o lado e encostou o pau no meu rabo. DEi para ele uma camisinha que ele jogou fora. Quando fui protestar senti ele forçar o pau no meu rabinho ja laceado, Mesmo assim não entrou. Tentei sair, ele me segurou com um braço, enquanto o outro segurava minhas pernas para cima e forçou o pau de novo, com força, entrou fundo... senti meu rabo se abrindo todinho, mas vi que não tinha entrado nem metade.
Agora os dois braços seguravam minhas pernas para cima e ele forçou de novo, agora entrando tudo. Senti as bolas tocando no meu reguinho e o pau inteiro dentro de mim de dilacerando. Eu gritava de dor, mas o sujeito nem ligava e começou o vai vém lentamente, ritmado, ganhando velocidade... logo estava enfiando e tirando quase o pau inteiro em uma velocidade muito rápida. Eu estava alucinada, louca, vibrando de tesão... ele meteu assim direto por uns bons cinco minutos, quando senti que iria gozar e vi meu pauzinho duro espirrar um jato de porra para cima que foi no peito do sujeito que ao ver aquilo ficou enfurecido e começou a me fuder com raiva... ai ai ai ai ele estava me matando... socorro... ele bombou assim por mais cinco minutos até que senti seu pau pulsando dentro de mim... estava gozando... ele caiu meio de lado, em cima de mim...
O pau saiu do meu cu... que estava todo arregaçado. Empurrei o sujeito que parecia meio desmaiado. Levantei minha calça e sai rapidinho. Os outros dois peões estava lá trabalhando e só escutei eles falaram para eu voltar. Saí da obra, entrei no carro e fui embora. Em casa vi meu rabo todo destroçado... mas eu estava satisfeita.
87% (7/1)
 
Categorias: AnalTravestis
Comentado por morenopira50
3 meses atrás    Visualizações: 1,620
Comentários
Responder:
Reply text
Por favor faça login ou registe-se para inserir comentários.
Sem comentários