O CASTING do filme porno

O CASTING


Numa das fases mais escuras da minha vida, passei pelo drama do desemprego, como uma grande percentagem de pessoa em Portugal. È o ritual de acordar cedo, ir ao café e começar a verificar os classificados de emprego em busca de algo que interesse e valha a pena. Nem sempre surge algo que nos interesse, mas naquele dia reparei num anuncio que se sobressaiu: "procuramos pessoas talentosas que saibam representar. Excelente remuneração. Caso não saibam, fiz teatro na escola, onde uma vez desempenhei de forma magistral o papel de Maria Madalena. Na altura insurgi-me contra o meu professor de teatro, pois não percebia o motivo pelo qual me tinha atribuído o papel de prostituta, mas no fim até recebi boas criticas e tive uma boa nota escolar. No fim acabei por lhe fazer uma mamada em modo de gratificação.
Mais tarde fui também convidada para desempenhar um papel de uma
escritora que tinha virado prostituta por se ter viciado em cocaína. Portanto, experiência de representação eu até tinha. Decidi ligar para ver o que eles tinham para me oferecer... "olá, estou a ligar por causa do anuncio..." "Tem experiência?" "Sim, já diz teatro" - Afiancei. "excelente. Pode aparecer para uma entrevista hoje à tarde?" "Sim, claro!" Pelas três da tarde compareci na morada que ele me indicara. Eu trajava uma saia curta e trazia uns saltos altos tons de tigreza. A minha blusa era decotada e era assim que me sentia confortável. Se depois o entrevistador se excitasse, o problema era dele, concordam? Então vamos prosseguir.
Entrei numa sala onde estavam dois indivíduos. Um sentado atrás de uma secretária ( era o boss) e outro sentado numa poltrona, A seu lado, em cima de uma mesa estava um câmera profissional de filmar. "Eu sou o Fabio" - Disse o boss.
"eu sou o Zé pi..." - Anunciou o que estava na poltrona "Zé Pi?..."- inquiri "Zé piroca, prazer"- disse ele com ar de idiota. "sente-se, Mónica." - disse o boss, que era um cavalheiro alto mas que era demais parecido com um dos personagens dos filmes de gangsters, mas mais mal vestido. "Nós somos uma agência que recruta atores e atrizes para diversas produtoras"- declarou ele acendendo um cigarro. "portanto, costumamos fazer castings dentro de diversos géneros, pois as produtoras estão sempre á procura de várias coisas" "Entendo". - disse laconicamente.- " estou disponível" "Muito bem, então para começar, preciso que faça um numero de lap dance" "Não sei dançar" - Respondi "Então e cantar?"
"Só se for o daletos de ternura da Maria Leal" "é melhor não"- Declarou o boss "- Então e fazer uma pequena
apresentação para câmera, consegue?" "Isso sim." Quando olhei para o Zé pi, ele estava a inalar cocaína em cima da câmera. O boss levantou-se e dirigiu-se a ele com um ar ameaçador. "foda-se, quantas vezes já não falamos sobre isto?" "I love you..." Respondeu ele coçando o nariz. "Pega na câmera e começa a filmar a menina"- Ordenou o boss. Aproveitei o momento para dar uns toques na minha maquilhagem e desapartar mais um botão na minha blusa. "gravando"- anunciou o zé "como te chamas'?" "Mónica Neves" "Fala-nos de ti" .
"Nasci em Lisboa, tenho 30 anos e gosto de viajar" " fala-nos de coisas que gostes, como por exemplo, gostas de sexo'" Confesso que ele não me apanhou nada desprevenida com aquela pergunta. Pois suspeitava que o casting era tudo menos sério. Aquilo era , de certeza para algum anuncio de tv. Talvez para algum produto tipo viagra, etc." "gosto muito"- redargui " Podes falar-nos da tua primeira vez?" - Insistiu o boss.
"Foi tão rápida que quase nem me recordo. Foi com meu padrasto. Ele tinha sessenta anos, apanhou-me a fazer top less na piscina lá de casa, e ficou excitado. Na altura ofereceu-me 500€ para me foder. Como eu estava a pensar tirar a carta, aceitei. Então ele fodeu-me na cama onde dormia com a minha mãe, que tinha saído para ir ter com o amante dela. Não durou mais de dois minutos até ele se vir. Foram os 500€ mais bem ganhos da minha vida". Quando olhei para o câmera man, ele tinha o pénis de fora e masturbava-se. Na altura percebi porque lhe chamavam zé Piróca. O penis dele parecia uma jiboia. Grande e cabeçudo. Voltei a concentrar-me no boss, pois ele era o meu entrevistador. Mas para minha perplexidade, ele também estava hipnotizado a fitar o pénis do Zé. " Que grande pau, não achas Mónica?" "Já vi maiores no Senegal, mas sim, é grande"- Concordei O boss aproximou-se dele e ajoelhou-se. Depois começou a masturba-
lo e meteu-o na boca, fazendo-lhe um broche." O Zé piroca estava tão pedrado que quase deixou cair o aparelho em cima do boss. Foi quando me aproximei e retirei-lhe a câmera e comecei a filmar a cena. "isso, mama-o todo"- Ordenei de camera em punho. " ILove you" - balbuciava o Zé. "Agora baixa as calças para uma sessão anal, vamos!" - Sugeri, sentido que me estava a sair muito bem como "produtora" daquele filme gay. O boss gemeu nem uma colegial quando o pirocas lhe enfiou o membro por trás "I love you"- repetia ele. Inesperadamente a porta da sala abre-se e entra uma mulher muito bonita, aparentava ter uns quarenta anos.
"mas que se passa aqui?"- Indagou ela com as mãos nas ancas. "querida isto não é o que parece" - Argumentou o boss, meio atrapalhado, tentando disfarçar a situação. "tu és gay, Fábio?" - Insistiu ela tentando acender o cigarro, mas como estava impedida pelo seu nervosismo, eu mesma o fiz. "obrigada, querida'" - disse ela. " O que fazes aqui no meio desta imundice".
"estou a tentar arranjar emprego" - Argumentei. "Oh, querida, estás desempregada? "Sim, há seis meses. Gosto da sua blusa" - declarei "oh obrigada, é da Gucci. És muito bonita. Gostava de ver os teus seios" - disse ela. "Querida, não é apropriado..."- Interrompeu o boss, que pelo visto de "boss" tinha pouco". "Cala a boca!" - gritou a mulher que se chamava Helena. "para começar, podes começar por despedir esse câmera man inútil" Sim querida. Estás despedido" disse ele para o zé piroca "ok, mas a câmera é minha" - Anuiu ainda com ar de drogado. "quanto queres pela câmera, idiota?" "ah... quero uma rosinha" - tartamudeou ele, referindo-se a uma nota de 500€ Helena abre a sua mala e do seu interior retirou uma arma, que aparentemente manejava bastante bem.
"Queres quanto?" - rugiu ela, apontando-lhe a arma "Ah, uh, faço por 100€, Helena" Mulher traída fica impaciente, então é melhor não afronta-la. Helena puxou da culatra atrás e disparou dois tiros para o ar. Como o covarde pensa com as pernas, o Zé piroca, não demorou a fugir dali mais rápido que uma gazela. "I love you" - disse ele, mas já nas escadas. "desculpa querida"- Disse ela, voltando-se para mim com ar meigo. "posso ver os teus seio'" "Sim, Helena" Comecei a abrir a blusa e mostrei os meus seios a Helen que se demonstrou fascinada "posso tocar, querida'" - Indagou ela afetuosamente.
"sim, claro" respondi. Helena tinha um ar maternal que me dava segurança. "oh, são lindos e grandes. São naturais" - Indagou ela com um ar infantil com quem visita a Disneylândia e vê o pato Donald pela primeira vez. "Obrigada, Helena. Sim são naturais" "Há uns anos que estou a pensar em colocar silicone nos meus..." "mostra as tuas, Helena" - Solicitei.
Helena era uma mulher com um rosto muito bonito, parecia uma actriz de Hollywood de meia idade.
Tinha cabelo loiro, muito bem tratado e uns olhos azul marinho, que quase encadeavam. Contudo, os seus seios eram pequenos. "que achas querida, devo colocar silicone?"
"Querida, já tínhamos conversado sobre isso..." Interrompeu o Fábio, que de imediato se calou , quando Helena ameaçou jogar a mão à mala de novo... Comecei a apalpar os seios de Helena. Ela respondeu e começou a apalpar-me os meus" "Quem me dera ter as tuas mamas"- Sussurrou ela "hum conheço um belo cirurgião que é capaz de te ajudar"- Confidenciei
entre lambidelas e beijos nos seus mamilos "Oh, a serio, querida? "Sim, foi ele que implantou silicone na Rita Pereira. "oh, a serio? Gostava tanto de ter as mamas como ela" "se quiseres, posso telefonar-lhe já" - Anunciei" "Se fizeres isso, estás contratada, querida!"- redarguiu Helena " Contratada para operadora de câmera?" - Indaguei "não. Para minha consultora de imagem!" E foi assim, entre cenas gays, tiros e mamocas que consegui um emprego bem remunerado. A vida é um eco, o que tu envias, volta para ti , e o que tu plantas colhes.

60% (6/4)
 
Comentado por loirassa 2 meses atrás    Visualizações: 2,184
Comentários
Responder:
Reply text
Por favor faça login ou registe-se para inserir comentários.
Sem comentários