O Pintor do Vizinho

Estava em casa sábado pela manhã, sozinha e louco de vontade de arrumar um macho. Estava com uma calcinha rosinha, enfiadinha, uma shortinho curtinho que deixa as pontinhas da minha deliciosa bundinha a mostra e com uma camiseta curtinha soltinha.
De repente toca a campainha. Era uma moreno... delicioso... mas desconhecido. Abri a porta e de lá perguntei o que ele desejava.
- Estou pintando a casa do vizinho e agora estou pintando parte do muro da churrasqueira nos fundos e ele pediu para pintar a parte da parede que fica acima do muro, mas só posso pintar pelo seu lado.
O vizinho já tinha me falado que pintaria a casa e que talvez o pintor precisasse pintar do meu lado.
- Tudo bem. Vou abrir o portão para você.
Entrei de novo já com o rabinho piscando. Peguei a chave e fui abrir o portão - antes passei um batonzinho discreto, quase imperceptível e fiz uma máscara nos cílios (adoro máscara).
Sai toda toda e abri o portão já dizendo...
- Hmmmm você que veio dar uma 'pintada' aqui? Estava te esperando.
O moreno era delicioso, com uma pequena barriga, mas com um rosto lindo, pernas grossas e... ai ai ai a calça mostrava um bom volume... e já sacou que iria me comer então respondeu.
- Isso mesmo, vim pular a cerca para dar uma pintada aqui. Meu nome Alex e você?
Nessas horas sempre uso um nome que pode ser masculino ou feminino. Dessa vez resolvi usar Dominique.
- Sou Dominique... muito prazer - e estendi a mão para tocar nele.
Ele pegou na minha mão que deixei molinha...
- Muito prazer também. - disse.
- Venha. E lá atrás que você quer dar uma pintada né?
- Isso. Quero dar uma pintada atrás.
Fui na frente rebolando levemente e sentindo que ele me comia com os olhos.
Chegamos aos fundos da casa e mostrei para ele onde ele poderia subir. Ele começou a arrumar as suas coisas. Ajeitou a escada na beirada do muro e foi arrumar os pincéis e rolos.
Vi um rolinho pequeninho. Peguei na mão e comentei.
- Nossa que rolinho pequeno. Pra quê serve?
- Eu uso para pintar cantos ou grades.
- Hmmmm mas você também tem rolão né? - não resisti em perguntar.
- Tenho sim.
- Hmmmm que bom, porque para mim uma boa pintada é com rolão.
- Eu tenho um rolão sim e sempre dou umas pintadas com ele.
Nisso ele já ajeitou o pau na calça. Eu ia dar muito naquela manhã.
- E não quer dar uma pintada em mim? - fui direta ao assunto.
Ele nem respondeu. Apenas tirou o pau para fora. Já estava meia bomba. Realmente tinha um bom tamnho. Não era gigante, mas era grosso. E ainda ia ficar mais grosso.
Me abaixei e peguei no rolão do pintor e dei uma chupada gostosa.
- Vamos lá para dentro.
Fui caminhando, puxando o pintor pelo pau. Entramos em casa e fomos para a sala. Sentei no sofá e comecei um boquete espetacular. O pau começou a crescer. Que delícia.Cheiroso e todo depilado. Pau de comedor mesmo.
Comecei chupando a cabeça deliciosamente, colocando devagar e tirando... o pau cresceu e ficou duro como pedra. quase 20 cm... e bem grosso, mal cabia na minha boquinha.
Comecei a chupar pelos lado do pau e descer até o saco. Chupei uma bola e depois a outra, enquanto segurava a glande com um círculo com dois dedos e movimentava lentamente.
O pintor do rolão gemia gostoso enquanto eu chupava seu pau.
REsolvi por tudo na boca. Engoli até o caso, quase engasguei. Ele ficou impressionado. Coloquei o pau no lado da boca - na bochecha - e comecei a masturbá-lo com a boca.Que delícia. Estava chupando ele há quase dez minutos quando senti ele se contraindo. Ia gozar.
Tirei o pau da boca e deixei na frente do meu rosto e continuei uma punhetinha na parte de cima do pau, agora rapidamente. Em mais um minuto veio o primeiro jato de porra. Nossa quanta porra. Inundou meu rosto. Logo em seguida mais um jato. Como gozava. Então comecei a chupá-lo limpando o pau. Chupei cada gotinha. Delícia.
- Vai fazer o serviço, depois você volta aqui e dá mais uma pintada. Agora no meu cuzinho... - quase ordenei o pintor.
Ele se levantou e saiu.
Aproveitei e fui tomar um banho e me montar por completo. Me lavei todinha, fiz a limpeza anal. Sai do banho me enxuguei. Estava toda depiladinha, principalmente o rabinho.
Passei um creme por todo o corpo. Escolhi uma calcinha lilás e preta linda, asa delta, que destaca minha bunda e deixa meus machos me comerem com ela ainda socadinha. Peguei um espartilho da combinação - na mesma cor. Coloquei meias sete oitavos com detalhes em lilás. Estava deliciosa. Colei minhas unhas de gel - era fim de semana, poderia ficar com elas até segunda de manhã. Coloquei uma sainha preta que eu arranquei o forro, então ela era quase totalmente transparente - gosto de usá-la para passear a noite pelas ruas. Coloquei uma blusinha soltinha de meia manga e fui me maquiar.
Uma base para me deixar mais linda. Máscara. Batom. Blush e detalhe nos olhos de gatinha - sofri para aprender, mas agora uso sempre. Estava deliciosa.
Por último escolhi um sapato roxo de salto 15 que eu adoro. Me olhei no espelho. "Hmmmm qualquer macho iria querer me comer daquele jeito"...
Fui para sala e liguei um filme pornô no bluray. Tenho uns discos de filmes com crossdresser e coloquei o meu preferido. Depois de uns dez minutos com o filme passando vejo o pintor entrando na casa.
- Acabei a primeirão demão... já dei uma pintada lá atrás... agora quero dar uma pintada aqui...
- Claro gostoso... mas antes você não quer tomar um banho?
ele concordou. Mostrei o banheiro e ele foi tomar banho. Se eu não estivesse toda montadinha entraria com ele.
O pintor foi rápido. Cinco minutos e já estava de volta. Nossa. Ele estava totalmente pelado e com a pica duríssima. Levantei rebolando e me dirigi a ele. Quando me aproximei até me assustei. Ele me agarrou e me deu uma beijo delicioso. Uau. Que língua gostosa. Ele me beijava e apertava minha bunda tocando com o dedo no meu cuzinho. Que macho. Que pegada.
Ele me virou. Sentia seu pau como uma rocha no meio da minha bunda, enquanto ele me beijava o pescoço e batia uma punhetinha do meu pintinho. Minhas pernas estava tremendo de tesão. Não sei nem o que eu senti. A mão de estava me punhetando segurou minha bunda e buscou a minha cucetinha. Senti aquele dedo delicioso entrar lentamente no meu rabo, preparando para o caralho que iria rasgá-lo. Senti o segundo dedo. ele não me largava e continuava a beijar meu pescoço. Meu pintinho já pingava de prazer.
O terceiro dedo.
- Ai que delícia... que macho gostoso... me faz de puta... quero esse pau me rasgando como uma piranha.
ele me apoiou na parede e me inclinou um pouquinho. Ia me comer de pé. Mostrei para ele o lubrificante do balcão. Ele pegou, colocou no dedo e lubrificou meu rabinho. Depois colocou uma camisinha e apontou a cabeça do pau na entrada do meu cuzinho guloso.
Já levei pau grande, mas ultimamente estava apenas com pau médio. E apesar do pau do pintor não ser gigante, era bem grosso. Senti a cabeça forçando a entrada.
- Ai ai ai ai vai... mete meu macho... fode tua viadinha...
- Cadela. Vou te fazer de puta hoje.
E então forçou a entrada. Senti a cabeça laceando minha cuceta.
- Aiiii aiiiii
- Cala boca viadinha. Teu macho vai te comer e você não vai reclamar...
Ele tirou a cabeça e colocou de novo... agora um pouco mais... nossa... que maravilha... quase desmaiei... minhas pernas tremiam... então ele tirou de volta e sem que eu esperasse... imaginei que ele ia por só a cabeça de novo... ele meteu com força e com tudo... até o talo... ai ai ai ai
- Ahhhhhh delícia que macho gostoso... me fode meu macho... me faz de puta...
Com meu incentivo ele começou a socar com força e rápido. Não resisti e espirrei o primeiro jato de gozo na parede. Ele continuava socando. Que maravilha.
O pintor diminui o ritmo. Ufa. Começou a colocar e tirar lentamente. Ele tirava até a ponta do caralho e depois colocava lentamente. Com o pinto entrando devagar parecia que tinha um metro de comprimento. Senti cada centímetro. Então ele quase tirava e parecia um vazia dentro de mim. Colocava de novo, massageando meu rabinho. Sentia meu pintinho endurecido de novo e pingando de prazer mais uma vez. O pintor não gozava, então resolvi usar meus truquezinhos. Dei uma travada na cucetinha, segurando o pau dele quando ele tentava tirar. Ele puxou com força, mas teve dificuldade para tirar o pau que saltou para fora. O macho apontou a cabeça de volta na entrada do meu rabinho e forçou. Eu estava com o rabo todo lambuzado, mas com o cuzinho travada, estava dificil a pica entrar. Ele forçou de novo e então entrou, deslizando até o fim.
- Tá querendo me sacanear sua bicnhinha... então você vai ver o que é surra de pica...
E começou a socar com força e rápido de novo. Mas agorta eu me esforçava para tentar retesar meu cuzinho para segurar o pau dele e ele sentir m,ais prazer.
- Ahhhh que cu gostoso... aperta ele vai... isso..
Ele ficou mais alguns minutos no ritmo acelerado e eu já gozando de novo, me segurando, as pernas tremento, quase desmaiando... de repente senti ele tremer e gozar... liberei meu gozo também... e mais um jato de porra na parede. Perdi os sentidos rapidamente e cai levemente no chão, soltando a pica dele.
Nem recuperei de novo os sentidos e já vi ele tirando a camisinha e me fazendo chupar seu pau para limpá-lo por inteiro. Chupei gostoso a pica do meu macho, limpando ela inteirinha.
Ele saiu pegou suas roupas e começou a se vestir.
- Você é muito gostosa. Vou voltar a tarde.
Ele me deu um beijo delicioso e saiu. Eu ainda estava no chão. Fui até a janela e vi ele saindo e já na frente encontrando o vizinho.
- Já passei a primeira demão, mas a parede tá complicada, vai precisar mais uma segunda pintada. Combinei com o vizinho e vou fazer o serviço completo à tarde.
Ele voltou a tarde e foi maravilhoso... de novo
89% (16/2)
 
Categorias: AnalTravestis
Comentado por morenopira50
4 meses atrás    Visualizações: 3,727
Comentários (1)
Responder:
Reply text
Por favor faça login ou registe-se para inserir comentários.
4 meses atrás
Bom