Uma noite com uma trans

Numa noite dessas, conheci uma transsexual muito linda, daquelas que você só diz que é trans porque a piroca dela bateu na sua cara, e que piroca! Conversando com ela, descubro uma deliciosa mulher sedenta por muito sexo, mas não era qualquer sexo, ela queria ter sua piroca saciada, me animei muito pois sempre estive atrás de uma transsexual daquele jeito, me propus a tentar saciar aquela rola. E ela disse que aquela frase já havia deixado-a de pau duro, perguntei se eu podia por a mão, ela logo foi puxando minha mão entre suas pernas, por baixo do vestido, por cima da calcinha, sinto que seu pau é enorme, saindo pro cima da calcinha, acaricio por um longo tempo a cabeça daquela piroca, logo fiquei de pau duro também, estávamos numa mesa num cantinho do bar, pedi que ela levantasse o vestido para que eu pudesse conferir com meus olhos, toda aquela piroca, ela negou no inicio, tinha medo, pois era hostilizada quando descobriam que ela era trans, propus ela a deixar eu ver e leva-la pra casa. Então sim, uma calcinha normal até, mas uma rola enorme pra fora da calcinha, dura, cabeçuda, fiquei salivando, eu sabia que aquela era a rola da minha vida, pedi a conta, paguei tudo, chamei um carro, fomos embora pra minha casa a viagem inteira acariciando aquele pau por cima do vestido, não via a hora de ter aquela piroca em minhas mãos, na minha boca, preenchendo meu cu, não via a hora de me render aquela delicia de piroca!.

Chegando em casa, tudo bem escuro, já peço pra que ela deixe eu leva-la puxando pelo pau, e ela aceita prontamente, tira a calcinha, guarda na sua bolsa, eu vou com a mão por baixo do vestido, pego a tão desejada rola, vou andando enquanto seguro aquele mastro enorme, eu estava entrando em transe, já estava com as pernas tremendo, ansioso por tudo, entramos em casa, pego sua bolsa e guardo-a, viro pra ela e começo a lhe beijar, são beijos incandescentes, que apimentam e botam mais fogo na minha ansiedade, enquanto eu a beijo, eu aperto sua bunda, puxando-a pra cima de mim, já vou conhecendo a área do brioco, pois ali eu iria visitar, puxo seu vestido pra baixo, deixo seus seios a mostra, vou então com os dentes nos mamilos, deliciosos mamilos, leves mordidas, pra grandes gemidas que ela dava, eis que então, chego ao ponto que queria, retiro completamente seu vestido, só eu, ela e sua enorme rola, UMA ENORME ROLA MESMO, fico de joelhos, rindo, sorrindo, vou devagar ao encontro daquela pica, cheirosa, cheirava morango, inicio beijando-a, muitos beijos, então passo a lamber, esfrego seu pau na minha boca, pra deixar o máximo de gosto possível, eu queria sentir aquele gosto pro resto da minha vida, ela acaricia minha cabeça e me lembra, que era minha vez de tirar a roupa, eu estava tão ansioso pra chegar naquela rola, que esqueci de tirar minha roupa, igual a um jegue, saio rasgando minha camisa, tiro a calça de qualquer maneira. Quando ela bota a mão por cima da minha cueca e diz "-Aqui eu tiro com a boca", não me controlei, botei as mãos na sua cabeça, empurrei-a de joelhos, mandando-a tirar com a boca, meu pau estava extremamente suado, melado, parecia já ter gozado, ela chupou, disse que estava gostoso, de repente solto um jato de mijo, ela me olha, sorri e pergunta se eu quero fazer isso com ela, digo que sim, vamos ao banheiro, começo a mijar sobre ela, que vai se deliciando com a urina caindo pelo seu rosto, pelo seu corpo, miro dentro de sua boca, ela engole um pouco, termino de mijar, me ajoelho em frente a ela e tasco um abraço, volto a beija-la e dedilhar o buraco do cu dela, mas ela diz que quer fazer o mesmo comigo. Meus olhos brilham, sinto um fogo dentro de mim que nunca antes senti, peço que ela me permita, beber tudo que ela tem pra me dar, peço pra que ela seja minha rainha, minha mestra, minha dona, ela aceita, se levanta, pega minha cabeça, leva pro seu pau, diz que vai me dar mamadeira, então finalmente, eu abocanho aquele pau, até onde consigo, mas logo, sinto o mijo dela saindo, me apresso a engolir o mais rápido que posso, pra não desperdiçar, era um sonho, aquela rola na minha boca, mijando, eu não queria mais que aquilo terminasse, mas era muito mijo saindo, quase não dei conta, mas engoli tudo e estava delicioso! O tesão era tanto, que ejaculei igual doido, mas ela estava apenas começando.

Após a mijada onde eu acabei gozando, ela veio limpar meu pau, que delicia que estava sendo, enquanto ela limpava meu pau, a sua rola estava apontada pra mim, que estava sem ação, sem saber o que fazer, estava me sentindo fraco! Eis então que ela senta na minha cara e parecendo já experiente, aquele brioquinho veio direto na minha boca e minha lingua automaticamente tratou de lambe-lo, então decidi abraça-la puxando pra mim, com as mãos na sua piroca, eu lambia seu cuzinho e ela dava pequenas reboladas, eu não queria outra coisa até então, mas ela decide se levantar, quando penso que ela tirou o mel da minha boca, ela vem com o pirulitro, um deepthroat que quase sufoquei mas consegui chegar a base do pau dela, estava muito muito feliz, ela então senta o saco na minha boca, que abocanha tudo, ela começa a esfregar o pau na minha cara e eu sugava o saco sem parar, de repente o primeiro jato de porra, voou longe, tirei o saco dela da minha boca e fui logo pra cabeça do pau, beber aquele leitinho quentissimo saindo daquela piroca, delicioso Ela gozou muito mais do que eu, quanto leite ela soltava, tirou a piroca da minha boca só pra gozar na minha cara, mas eu lambia o que podia!.

Aquela altura do campeonato, eu já tinha me recuperado um pouco, solicitei visita aquele cu, fui prontamente atendido, ela agachou de quatro e empinou a bunda, aquela cena, não vai mais sair da minha cabeça, o cu dela me chamando, o pau dela enorme ali embaixo, pedindo pra eu voltar la, fui ali, deu um beijo nele e disse que logo voltava, subi com a lingua do saco para o cu, encharquei bem e soltei um tapa na bunda dela, estava dado a largada, aquele cu, recebeu minha rola de forma aconchegante, enquanto eu empurrava pra cima dela, ela se empurrava pra cima de mim, logo minha rola estava completamente dentro do cu dela, é claro que eu não tenho uma piroca como a dela que era muito maior que a minha, mas isso não importava, o que importava era aquele cu abraçando meu pau, entra e sai, ela gemendo alto, eu dando tapas na bunda dela, eu apertava os seus seios, abracei ela com minha rola toda dentro do cu dela, fui em seu ouvido e mandei ela rebolar. Meu pau quase quebrou, tamanho a rebolada que ela dava, logo gozei, enchi aquele cu de porra e ela logo limpou meu pau, agora era minha vez de abraçar aquela rola, com meu cu, não foi muito diferente, meu cu foi encharcado por ela, que delicia era cada lambida que ela dava, ela logo me deu um grande tapa na bunda, mas pra se impor, ela deu outro, mandou eu abrir meu cu com as duas mãos, estava la, com a cara no chão, mas o cu aberto pra ela, que veio com a cabeça da rola e ficou coçando a entradinha do meu cu, enfiava a cabeça e tirava, aquele gostinho de "enfia tudo" meu cu parecia querer gritar e abraçar aquela rola, então de repente, ela foi penetrando meu cu, bem devagar, toda aquela piroca foi entrando em mim, dei um leve grito, a pressão era muito, quando a base do pau dela, tocou na minha bunda, ela me abraçou e pediu que eu rebolasse pra ela, fiquei ali rebolando com todo aquele pau dentro do meu cu, eu não podia mais fazer nada, estava entregue, logo meu cu encheu-se de porra, prontamente fui limpar o pau dela! Tomamos banho e fomos dormir, abraçadinhos, tudo que eu queria, era casar com aquela trans, fenomenal, nunca uma mulher me deu tanto prazer assim, é claro que prontamente eu irei chama-la pra sair, não posso mais viver sem ela na minha vida sexual!

Pela manhã, ela acordou cedo, chamei um carro pra levar ela pra casa dela, me despedi com um beijo que acendeu o fogo dentro de mim, mas infelizmente, não podíamos recomeçar tudo ali, mas com certeza fincou nossos laços! Te desejo muito minha delicia!.
80% (13/3)
 
Categorias: AnalFeticheTravestis
Comentado por gordelicioso
4 meses atrás    Visualizações: 3,191
Comentários
Responder:
Reply text
Por favor faça login ou registe-se para inserir comentários.
Sem comentários